segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O que é DEGLUTIÇÃO ?


É o ato de engolir alimentos e começa na vida fetal. É uma ação automática, que é comandada pelo tronco cerebral. Ela serve para transportar o bolo alimentar para o estômago e realizar a limpeza do trato respiratório. Por meio da deglutição, o bolo alimentar que estava na boca chega ao estômago, passando pela faringe e pelo esôfago. A deglutição normal consiste de três estágios: Durante o estágio oral, o alimento é preparado através da mastigação, sendo transformado em um bolo. A passagem desse bolo alimentar pela base da língua inicia o estágio faríngeo da deglutição. O terceiro estágio ocorre quando o bolo alimentar passa através do esôfago em seu caminho para o estômago. Esse é um processo complexo e dinâmico, envolvendo uma série de movimentos musculares, tomando menos de 2 segundos para se completar. Durante esse curto espaço de tempo, a entrada para as vias aéreas são protegidas pela epiglote, enquanto que a do esôfago permanece aberta para a condução do alimento.
DISFAGIA
Disfagia ou dificuldade para deglutir é a sensação de retenção dos alimentos em seu trajeto da boca até o estômago. A disfagia só aparece durante ou poucos segundos depois de iniciada a deglutição.

GRAU DE COMPROMETIMENTO DA DISFAGIA OROFARÍNGEA

Disfagia leve: Quando o controle e transporte do bolo alimentar está atrasado e lento, sem sinais de penetração laringeal na ausculta cervical. Achados: alteração de esfíncter labial, incoordenação de língua, atraso para desencadear o reflexo de deglutição, ausência de tosse, sem redução acentuada da elevação da laringe, sem alteração do comportamento vocal após a deglutição e ausculta cervical normal.,

- Disfagia moderada: Quando o controle e transporte do bolo alimentar está atrasado e lento, com sinais de penetração laringeal e risco de aspiração. Achados: alteração de esfíncter labial, incoordenação de língua, atraso ou ausência do reflexo de deglutição, ausência de tosse, presença de tosse antes, durante ou após a deglutição, redução na elevação da laringe, alteração do comportamento vocal após a deglutição e ausculta cervical alterada.

- Disfagia severa
: Quando há presença de aspiração substancial e ausência ou falha na deglutição completa do bolo alimentar. Achados: atraso ou ausência do reflexo de deglutição, redução na elevação da laringe, ausência de tosse, 06 presença de tosse durante ou após a deglutição, alteração do comportamento vocal após a deglutição, alteração respiratória evidente, ausculta cervical alterada e deglutição incompleta.

VÍDEOFLUROCOPIA

Videofluroscopia é o método pelo qual se pode registrar, em fita magnética, os eventos biológicos dinâmicos, observáveis em écran fluoroscópico, gerados pela exposição de voluntários e pacientes à radiação X . Esta exposição regrada em área, tempo e regime, caracteriza-se por baixos índices de exposição a radiação X. O método permite a visualização e registro, com qualidade bastante, de trinta quadros (sessenta campos) de imagem por segundo.
Pode-se ver e rever os eventos registrados sem a necessidade de novas exposições à radiação. “Slow motion”, quadro a quadro e outras vantagens da vídeo gravação ficam disponíveis. As imagens devem ser analisadas de modo qualitativo e pode-se, ainda, quantificar fatos (dimensões, tempo e velocidade) da dinâmica registrada. A videofluoroscopia tem sido considerada como padrão ouro para a investigação da dinâmica dos diversos eventos das fases oral e faríngea da daglutição, com especial ênfase no estudo da farínge, por permitir a observação geral e específica da dinâmica destes tempos, sem causar interferências funcionais como as que podem ser produzidas pela presença de aparelhos e tubos na luz digestiva Além da videofluoroscopia, os outros exames complementares são: - ultrassonografia; - nasolaringofibroscopia funcional da deglutição; - cintilografia; - ausculta cervical; - Blue dye.

Tratamento Fonoaudiológico para pacientes disfágicos.

Para Furkim (1997), a terapia fonoaudilológica envolve exercícios para: - resistência muscular; - melhorar o contrloe do bolo alimentar dentro da cavidade oral (mobilidade e motricidade de orgãos faciais); - aumentar a adução dos tecidos no topo da via aérea “principalmente pregas vocais verdadeiras (PPVV)” ; - mobilidade laríngea; - manobras posturais; - estimulação do reflexo de deglutição. O tratamento da disfagia deve ser baseado numa completa avaliação: sensório-motora oral, postura, tônus muscular, respiratória, nível cognitivo e de linguagem. Resultados de estudos radiológicos como o da videofluoroscopia, podem ajudar muito, além de indicar em que fase da deglutição ocorre a dificuldade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário